#CPA: Até onde vai o poder do dinheiro?

Esses dias estava pensando na vida até que vi uma situação, num programa que quase não acompanho, que tive o prazer (ou o desprazer) de acompanhar num dia em que uma bomba explodiu. Para quem estar perdido, estou falando de toda a repercussão sobre a saída da Tamires, cirurgiã-dentista, do Big Brother Brasil no último domingo. 
Para falar desse assunto com coerência e propriedade, pesquisei sobre a rotina desta personagem em mais um jogo da mídia. Ela estava numa depressão, numa saudade, numa vida fora do comum, num lugar onde passos, atos e sentimentos são vigiados todos os dias, horas, minutos e segundos. A pressão foi igual para todos os que aceitaram, mas para essa menina parece que o poço foi cavado mais fundo. Lá dentro tudo falou mais alto, as emoções, os rancores, a saudade e principalmente, os princípios. Princípios esses que fizeram a menina colocar na balança os seus sentimentos e notar que nada daquilo, valia um milhão e meio. 
Parece ser uma história de renúncia por uma boa causa, um ato que deveria ser notado como corajoso, mas a força da mídia e do dinheiro, transformaram em um ato causador de repúdio, chegando ao ponto de ser mencionado que quem desiste morre para esses manda chuvas, para esses ditadores. Como se não bastasse todo o discurso deplorável, ainda aparecem vários comentários de pessoas que usam do preconceito para destilar todo seu ódio sobre essa menina. Gorda, feia, ridícula e todos adjetivos malignos que tem o poder de deixar a alto estima de qualquer pessoa, num nível abaixo do zero.
Até quando o dinheiro vai dominar os sentimentos das pessoas? Até quando o biotipo de alguém dimensiona a força que aquela pessoa possui? Será que para ser aceito neste mundo tão cruel, precisa vender a alma e esquecer todos e qualquer sentimento voltado a sua vida antes da pseudo fama. Vivemos num mundo que é pecado sentir saudades, pecado ter fraquezas, pecado se arrepender de algo que fez e o pior, é pecado seguir seus próprios princípios. Vivemos numa ditadura midiática, no qual os esteriótipos de corpo perfeito, do ser perfeito é o normal e aceitável dentro desta sociedade. 
Um texto polêmico sobre um assunto polêmico, que sei que pode render comentários positivos e negativos ao Blog. Mas assim como a Tamires, tenho meus princípios, meus sentimentos e nenhum dinheiro do mundo é capaz de comprar tudo isso que eu carrego e construir em toda a minha história. Posso ser uma mera célula para esse mundo tão criterioso, e fala sério, prefiro ser cada vez menor. Tem certos fragmentos de felicidade que são mais importantes, mais duradouros e mais valiosos que qualquer tipo de visualização ou valor monetário. E na boa Tamires, para mim você é a maior vencedora desses quinzes anos de reality show, é preciso ter muita coragem para ir contra tudo o que a riqueza impõe. 

2 Comments

Leave a Reply