Papo sério: eu tenho algum tipo de transtorno?

Oi gente linda, tudo bem? Sempre procuro trazer posts que além de colocar a mulherada com a auto estima nas alturas, alertam para temas com relação à saúde. Assisti a um vídeo da Luisa Accorci falando sobre anorexia, e me despertou para outra vertente do transtorno alimentar.

Quando eu era mais nova, vivia no efeito sanfona. E bem na fase da adolescência, onde os crushes começam a surgir, após pressão por muitos lados (mídia, alguns amigos e familiares), via a necessidade extrema de me manter magra.

Tinha uma compulsão muito grande por comida, quanto mais diziam para eu parar de comer, mais eu comia, mas não queria engordar, então comecei a provocar vômitos. Minha glote sempre fechou e não conseguia expelir nada, só engasgava, até que percebi que não era bom fazer aquilo com meu corpo.

Já falei em posts atrás que vivenciamos isso com minha cunhada, era uma tristeza, todos os dias pós refeição a história se repetia. Depois de casada, no início, quando comecei ganhar uns quilinhos, desenvolvi outro tipo de transtorno: a compulsão por compras.

Eu me sentia frustada por não conseguir uma roupa bacana, com a autoestima lá no chão, comprar, nem que seja uma agulha, era minha satisfação, ainda que passageira. Estourei cartões de crédito e era infeliz.

O que isso tem a ver com o vídeo da Luisa e com nosso quadro sobre as Plus Cats? Quantas meninas por conta de um padrão de beleza estabelecido não tem submetido a tipos até desumanos de dietas, ficando horas sem comer, alimentando de gelo (isso mesmo, gelo!), tomando medicamentos ilegais e laxantes em troca de um corpo bonito?

Não sou a melhor pessoa pra dizer isso, uma vez que sou sobrepeso e minha área de atuação está bem distante da Nutrição. Porém, não adianta de nada querer ter a qualquer custo um corpo perfeito (isso se ele existir) se sua mente não estiver saudável.

Enquanto eu focava no meu problema, mais compulsiva eu ficava, e pior, sem alegria.

Foi a partir do momento em que tratei meus traumas interiores, com o apoio do meu marido, da minha fé em Deus e com a minha vontade de sair daquela situação, comecei a observar em mim pontos que eu achava bonito e a super valorizá-los!

Eram eles que eu usava. Até peças que eu enquanto consultora de moda (yay! até me esqueci que fiz um curso) imaginava que ficaria legal na silhueta oval e ARRASEI. Comecei a ver que tirava olhares positivos das pessoas, e me importei mais com eles do que os maus.

Sobre a compulsão? Bem, ainda gasto um pouquinho, mas da maneira comum de TODAS as mulheres (haha). Como bastante, inclusive já estou procurando um profissional, não pra estar magra e sim com saúde. Há uma terapia cognitivo-comportamental que os psicoterapeutas usam para tratar diversos de traumas e transtornos. Não é vergonha pra ninguém ir em uma consulta desse tipo.

Se você gata percebe que já não está ficando legal, procure um médico.

Enfim pessoas bonitas, por hoje é só. Algumas de vocês já passaram por algum tipo de transtorno alimentar e conseguiu superar? Deixe aqui seu depoimento. Um super beijo, Klíssia Mafra ♥

Leave a Reply